sexta-feira, 18 de junho de 2010

Formatura



Meus amigos chegou o grande dia. 
Sei que passamos momentos de tensão, períodos de dificuldades,
 horas e problemas que pareciam nunca Passar.
 Mais estávamos ali, firmes em nosso propósitos, perseverantes
 e principalmente com muita fé em Deus que este dia ia chegar.
valeu a pena todo o sacrifício que passamos na nossa jornada até aqui.
 Serviu para acumular experiências. 
Agora vendo você e todos os nossos amigos 
de classe prestes a serem diplomados meu coração acelera, 
 a emoção toma conta de mim. 
Tento ser forte, corajoso...
 Mais isso é mais forte que minha vontade,
 sinto meu corpo tremer, minha voz está estranha.
 Uma vontade de sorrir se mistura com a vontade de chorar,
 sinto que a adrenalina está subindo cada vez mais.
 O grande dia chegou e agora é a hora de comemorar juntos 
nossa primeira conquista.
 Obrigado Senhor, por nos abençoar, 
dar saúde e paciência para podermos chegar a até a formatura.
 Amanhã é outro dia e nós estaremos cada um para um lado. 
Caminhando um busca da nossa própria vida. 
Que esta formatura seja uma das muitas vitórias 
a fazer parte de nossa vida. 






domingo, 13 de junho de 2010

Dieta

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Neurose


Neurose não é:

- Falta de Homem (ou de Mulher)
- Falta de pensamento positivo
- Cabeça ou mente fraca
- Falta de vontade
- Falta de ter o que fazer
- Ruindade ou maldade
- Senvergonhice
- Influência espiritual
- Mal-olhado ou encosto
- Coisa "de sua cabeça" (isso é caspa)
- Falta de ter passado por dificuldades de verdade (isso é azar)
- Por nunca ter passado dificuldades
- Falta de uma boa surra
- A "gente é que permite"
- Conseqüência de ter tido de tudo na vida
- Conseqüência de não ter tido nada na vida
- Porque o pai brigava com a mãe
- Porque o pai separou da mãe
- Porque o pai era enérgico
- Porque o pai era omisso
- Porque não teve pai
- Porque a mãe era protetora
- Porque a mãe era omissa
- Porque não tinha mãe
- Porque soube que a mãe não era essa
- Porque "forçou demais a cabeça"
- Porque nunca "teve que forçar a cabeça"
- Porque a menstruação subiu para a cabeça
- Finalmente, porque misturou manga com leite...

sábado, 15 de maio de 2010

O modo enfermeira de ser...


O modo Enfermeira (o) de Ser ...

Enfermeira(o) não anda, DEAMBULA. 

Não fuxica, FAZ ANAMNESE.

Não incha, tem EDEMA.

Não tem coceira, tem PRURIDO. 

Não se apega, ESTABELECE VÍNCULOS.

Não fica doente, MANIFESTA SINAIS/SINTOMAS.

Não conversa, ESTABELECE COMUNICAÇÃO VERBAL.

Não é legal, é HUMANIZADA.

Não trabalha, EXECUTA HABILIDADE COGNITIVA TEÓRICO-PRÁTICA.

Não briga, DIVERGE COM FUNDAMENTAÇÃO. 

Não ouve, AUSCULTA.

Não beija, COMPARTILHA MICROBIOTA DA CAVIDADE ORAL.

Não impõe, EXERCE LIDERANÇA.

Não bebe, faz INGESTA ETÍLICA.

Não encosta, CONTAMINA.

Não organiza, SISTEMATIZA.

Não arrota, apresenta ERUCTAÇÃO.

Não ampara, oferece SUPORTE EMOCIONAL. apoio psicológico.

Não dá remédios, ADMINISTRA MEDICAÇÕES. 

Não joga fora, DESPREZA.

Não usa camisinha, usa MÉTODO CONTRACEPTIVO DE BARREIRA. 

Não limpa com álcool, faz ANTISSEPSIA ou DESINFECÇÃO.

Não é saudável, MANTÉM HOMEOSTASIA CORPORAL.

Não trabalha junto, trabalha em EQUIPE.

Não trata, CUIDA. 

Não gosta do que faz, AMA!!!

sábado, 17 de abril de 2010

Amanhã pode ser tarde...

Amanhã pode ser tarde...

Ontem? Isso faz tempo!

Sem contar que amanhã

Amanhã? Não nos cabe saber.
amanhã
pode ser muito tarde... 
Para você dizer que ama;

Para você dizer que desculpa;
Para você dizer que perdoa; 
Para você dizer que
quer tentar de novo. 
Amanhã pode ser muito tarde... 
Para você pedir perdão;

Para você dizer: “Desculpe-me, o erro foi meu!”
O seu amor, amanhã, pode já ser inútil.
 O seu perdão, amanhã, pode já não ser preciso. 
A sua volta, amanhã, pode já não ser esperada. 
A sua carta, amanhã, pode já não ser lida. 
O seu carinho, amanhã, pode já não ser mais 
necessário 
seu abraço, amanhã,  
pode já não encontrar outros braços. 
Porque amanhã pode ser muito, muito tarde!
Não deixe para amanhã dizer: 
“Eu amo você!” 
“Estou com saudades de você!” 
“Perdoe-me!” 
“Desculpe-me!” 
“Esta flor é para você!”
 “Você está tão bem!” 
Não deixe para amanhã: O seu sorriso, 
O seu abraço, 
O seu carinho, 
O seu trabalho, O seu sonho, 
A sua ajuda.
Não deixe para amanhã as perguntas: 
“Por que você está triste?” 
“O que há com você?” 
“Ei! Venha cá, vamos conversar...”
 “Cadê o seu sorriso?” 
“Ainda tenho chance?” 
“Já percebeu que eu existo?”
 “Por que não começamos de novo?”
 “Estou com você. 
Sabe que pode contar comigo?” 
“Cadê os seus sonhos?”
 “Onde está a sua garra?”
Lembre-se: Amanhã pode ser tarde,
 muito tarde! 
Então, procure. 
Vá atrás!!
 Insista!!! 
Tente mais uma vez!!!!
 Só o dia de hoje é definitivo!!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Calendário

sexta-feira, 12 de março de 2010

só pra lembrar!

upload imagens
e dia 13 maio dia  do níver da enfermeira zanza

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da mulher


Ser Mulher 


Mulher
Semente...
SER-mente...
SER que faz gente,
SER que faz a gente.

Mulher
SER guerreiro, guerrilheiro,
lutador...
multimidia, multitarefa, 
multifaceta, multi-acaso...
multi-coração...

Mulher
SER que dá conta,
que vai além da conta,
que multiplica,
divide, soma e subtrai,
sem perder a conta,
sem se dar conta, de que 
esse século foi seu parto,
na direção de seu espaço,
de seu lugar de direito e de fato,
de seu mundo que lhe foi 
usurpado e que agora é 
por ela ocupado.

MULHER... 
Esse SER florado, 
esse SER adorado,
esse SER adornado, 
que nos poem em um tornado, 
nos deixa saciado e
transtornado, 
que nos faz explodir
e sentir extasiado. 
SER admirado...

MULHER...
Nesse final de milénio, 
faça a transição. 
Tire de seu coração a semente 
que vai mudar toda a gente
levando o mundo a ser mais gente...
Um mundo mais feminino, 
mais rosado e sensibilizado,
mais equilibrado e perfumado...

PARABENS MULHER !!! 
Não pelo oito de marco,
nem pelo beijo e pelo abraço,
nem pelo cheiro e pelo amaço. 
Mas por ser o que és...
Humus da humanidade,
Raiz da sensibilidade, 
Tronco da multiplicidade, 
Folhas da serenidade, 
Flores da fertilidade, 
Frutos da eternidade...
Essencia da natureza humana.

Parabéns...


Autor Desconhecido 

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Deu branco!









Vai dar tudo certo!!!


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

A Rocha no Caminho...





Em tempos bem antigos, um rei colocou uma pedra enorme no meio de uma estrada. Naquele momento, ele se escondeu e ficou observando se alguém tiraria a imensa rocha do caminho. Alguns mercadores e homens muito ricos do reino passaram por ali e simplesmente deram a volta pela pedra. Alguns até esbravejaram contra o rei, dizendo que ele não mantinha as estradas limpas, mas nenhum deles tentou se quer remover a pedra dali.

De repente, passa um camponês com uma boa carga de vegetais. Ao se aproximar da imensa rocha, ele pôs de lado a sua carga e tentou remover a rocha. Após muita força e suor, ele, finalmente, com muito jeito, conseguiu mover a pedra para o lado da estrada. Ele voltou a pegar a sua carga de vegetais, mas notou que havia uma bolsa no local onde estava a pedra. Foi até ela e viu que a bolsa continha muitas moedas de ouro, e um bilhete escrito pelo rei que dizia:

"TODO OBSTÁCULO CONTÉM UMA OPORTUNIDADE PARA 
MELHORARMOS NOSSA CONDIÇÃO..."







sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Contando os dias...

Manual de instruções da vida

Nunca desista de ninguém.
Milagres acontecem todos os dias.
Aprenda a prestar atenção.
As vezes oportunidade bate à porta muito baixinho.
Jamais prive uma pessoa de esperança,
pode ser que ele só tenha isso.
Torne-se a pessoa mais positiva
e entusiástica que você conhece!
Jamais corte o que pode ser desatado.
Nunca desperdice uma oportunidade de
dizer a uma pessoa que você a ama.
Não use seu tempo e suas palavras com descuido.
Nenhuma das duas coisas pode ser recuperada.
Atenção aos grandes problemas.
Eles escondem grandes oportunidades.
Embora ninguém possa voltar atrás
e fazer um novo começo,
qualquer um pode começar agora
e fazer um novo fim.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

"Amor e Luz"
Autores: W. Luz / n. Farias

Amor e Luz
A mão que toca e faz
A dor fica menor
O seu olhar afaga
Amor e Luz
No silêncio das noites
O guardião da vida
Basta você chamar
Vive a vida
Pra tantas vidas
Muitas vezes sem saída
Nem o tempo cura as vezes essas feridas
Mas um sedativo é sempre o ombro amigo
Nem o tempo cura as vezes essas feridas,
Mas um sedativo é sempre o ombro amigo

O Enfermeiro, a Enfermeira
Transcendem suas lutas pelos leitos
O Enfermeiro, a Enfermeira
Já é eleito em nossos corações amor e luz
Amor e Luz
Amor e Luz, uma bandeira branca avisa
A vida sempre vale mais
Amor e Luz
Amor e Luz, chama acesa
Vida em tantos hospitais
Vive a vida...

















sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Que fofinha!!!



 
Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus
— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
................................
Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!
 
Abreu, Casimiro de (1837-1860), poeta romântico brasileiro.





PAZ ....PAZ....PAZ....PAZ....PAZ.....PAZ.....PAZ!!!!

Mentes com Medo!



O livro é cativante do ínicio ao fim, muito bom... olha só:

(...Quem nunca sentiu medo que atire a primeira pedra...
Quer saber de uma coisa?  Todo mundo têm medo, uns têm medinho, outros medões, mas no fundo tudo é medo puro e simples. Sentimos medo de manhã, as vezes à tarde e muito mais à noite, não necessariamente nessa ordem.

Medo de não ver o pôr-do-sol, de não poder ir à praia no domingo, de jogar a bola para fora do gol, da areia quente, de que o chope esquente ou a onda se arrebente.

Medo de cair, de sair, de se divertir, da felicidade, da fatalidade, da bala perdida, da fome, de ter e de perder, seja lá o que for!

Medo de trair e ser traído, de perder o grande amor, de amar e não ser amado, de dizer adeus, de partir, de mudar, de renovar, de dizer eu te amo!

Medo de bruxa, do escuro, do bicho-papão, do vento, da ventania, do relâmpago e do trovão.

Medo da morte: a sua, a do amigo, do seu filho e a dos seus pais.

Medo de esquecer o que foi bom, de enlouquecer, de não viver, do prazer, de querer sempre mais e nunca mais parar de querer.

Medo do terror, dos terroristas, dos que manipulam os horrores humanos, dos que adoram o poder, de não poder com esse tipo de gente.

Medo de envelhecer, das rugas, dos cabelos brancos, da osteoporose, da menopausa, da calvície, de virar pó e da certeza de que a vida é uma só.

Medo de experimentar coisas novas, umas melhores e outras piores, mas o que vale é o movimento, somente o que está morto não se move.

Medo de olhar no espelho; do fracasso, da decadência, da não-reação, do marasmo, da acomodação.

Medo de falar a verdade, de não ter verdades pelas quais lutar, de magoar, de brigar, de perdoar.

Medo de não ter o filho desejado, de não vê-lo crescer, de vê-lo adoecer, de não vê-lo feliz.

Medo do chefe que grita, que não elogia, que não explica, que não brinca, que só xinga, que assedia.

Medo da solidão, da rejeição, do telefone que não toca, da palavra não dita, do "mico" não pago, a alucinação da paixão, do beijo não roubado, da dor do amor não correspondido, das velas não apagadas, do grito não ecoado depois do sexo em perfeita comunhão.

Medo da diferença, da indiferença, da arrogância, do desprezo, da ignorância, do preconceito, do politicamente correto, do jeitinho brasileiro, da corrupção, da inflação, da humilhação, da falta de profissionalismo dos políticos, da inveja da tristeza, das escolhas, do seu corpo, do passado, do presente e do futuro.

Medo de gastrite, otite, sinusite, faringite, meningite, hepatite, celulite e tudo que é "ite".

Medo da responsabilidade, da liberdade, da igualdade, da fraternidade, do recomeço, de cantar, de dançar, das crenças, das encrencas, de dar e receber opinião, de ter voz e voto, de não ter voz e voto, de aturar gente de má índole, de má vontade e sem educação.

Medo de casar, de se divorciar, de casar de novo, de não poder mais voltar. Medo de se perder, de endurecer o coração, de não sonhar e de nunca mais se achar.

Medo de errar, de não ter o que dizer, de falar demais, de se calar diante da covardia, de engolir o choro da emoção, de não crer enão ter fé em DEUS, em si e na vida.

Medo da enchente, de não gostar de gente, do ladrão, de não ser o único e virar nenhum na multidão.

Medo de pensar "inho" e acabar tendo uma vidinha cercada de gentinha, de perder o emprego, de nunca mudar de emprego por puro medo da mudança, medo da mediocridade e da maldade.

Medo da ditadura, do neoliberalismo, do comunismo, do nazismo, do radicalismo, da guerra, da bomba de Hiroshima, de Nagasaki, do tsunami, do Katrina, da chacina, da rebelião, do vandalismo, da escravidão, da sofreguidão, da falta de poesia, da realidade nua e crua.

E , por fim, medo de não ter coragem para enfrentar tudo isso, mesmo que isso não tenha fim...

ANA BEATRIZ BARBOSA DA SILVA  )




E você tem medo de que?
Ocorreu um erro neste gadget