quinta-feira, 14 de maio de 2009

Cirurgias Neurológicas


div>




Pré- operatório em cirurgias neurológicas:

- preparo emocional do paciente;
-tricotomia;
- inspecionar couro cabeludo;
- observar sinais neurológicos: nível de consciência, paralisias, parestesias, alteração de personalidade, distúrbios da fala e motores;
- cuidados especiais quanto a parte do corpo paralisada;
OBS: não medir pressão e não fazer procedimentos na parte paralisada, pois a circulação está diminuida e a sensibilidade deficiente.
Pós-operatório em cirurgias neurológicas:

- observar sinais vitais rigorosamente, principalmente P.A.
- observar pupilas;
- observar presença de movimentos voluntários e involuntários ( hemiparesia, hemiplegia);
- ver nível de consciência ( lúcido, confuso, sonolento)
- comunicar a enfermeira imediatamente se ocorrer cefaléia, vômito, convulsões e rigidez de nuca.
- pesquisar deficiência motora e sensitiva ( paraplegia, tetraplegia e paresia)
- fazer todos registros no prontuário.


Craniotomia:

É a abertura do crânio para tratamento cirúrgico das estruturas intracranianas.

Indicações:
- tumores intracranianos
- traumatismos cranioencefálicos
- abscessos ou hematomas intracranianos.

Pré-operatório em craniotomia:
- observar ocorrência de paralisia, alterações auditivas e/ou visuais, alterações na fala, incontinências e nível de consciência;
-observar a marcha, acompanhar nas deambulações, se nescessário e fornecer apoio. O andar pode ser lento;
- controlar regorosamente de 2/2 horas a pressão arterial, pois a hipertensão poderá indicar aumento de pressão intracraniana;
- estar atento as queixas de cefaléia;
- posicionar o paciente em FOWLER para reduzir a pressão intracraniana;
- fazer controle de diurese;
- fazer controle hídrico;
- fazer tricotomia do couro cabeludo;
- apoiar psicologicamente, ouvindo temores, fazendo reforço positivo.

OBS: os enemas são contra-indicados, pois aumentam a pressão intracraniana.

Pós-operatório em craniotomia:
- manter o leito em FOWLER, lateralizando a cabeça do paciente;
- verificar sinais vitais rigorosamente;
- observar as ataduras que envolvem o crânio, pois poderá haver sangramento;
- o curativo é compressivo. Deverá ser trocado após 24h. Se houver dreno de PENROSE, será retirado aproximadamente após 24 h, e se houver o de sucção, após 72h , anotando aspectos e volumes de secreções;
- pesar o paciente pela manhã, antes do desjejum, parâmetro que indentifica ocorrência de retenção hídrica;
- anotar aparecimento de complicações e avisar a enfermeira.

Complicações em craniotomia: Meningites, Hemorragia intracraniana e choque hipovolêmico.







3 comentários:

google disse...

parabéns ao autor da história , pois o trabalho ficou de ótima qualidade,e de fácil aprendizado para os interessados na ára da saúde.

carlos arcoverde gomes

google disse...

parabéns ao autor do tarbalho,pois ficou de ótima qualidade e de fácil aprendizado para o público alvo.
atenciosamente:
Carlos Arcoverde gomes.

Rithelly Mattos disse...

Parabens ao autor....
pois alem de ficar otimo pela facilidade do aprendizado...ouvi muito criatividade... Que cerebro e esse...kkk/
Rithelly Mattos

1