domingo, 26 de junho de 2011

Livro



...Entre os que têm síndrome do Pânico, tenho encontrado um desejo invejável de viver. Quando um ataque de pânico os atinge, o cérebro deles entra em estado de alerta tentando protegê-los de uma grave situação de risco, um risco virtual. Ficam taquicárdicos, ofegantes e suam muito, procurando fugir da síncope ou da morte, uma morte imaginária que só existe no teatro das suas mentes. Se aprendessem a resgatar a liderança do seu eu em suas crises seriam livres do cárcere do medo. Quem dera os usuários de drogas, os que vivem perigosamente, os terroristas, os que promovem guerras tivessem a consciência da finitude da vida e da grandeza da existência que os portadores da síndrome do pânico possuem. Apesar do sofrimento imposto pelo pânico, são apaixonados pela vida. Queria amar a vida como eles amam, viver cada minuto como se fosse um momento eterno....

2 comentários:

Rodolfo Rios disse...

É preciso viver sem medo!

c/abraços

RR

Zanzas disse...

É difícil vencer o medo, mas não podemos desistir, tenho fé e amor pela vida! Obrigad pelo comentário, bj!

Ocorreu um erro neste gadget