terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Ser ou estar


Ser ou Estar – Uma Importante Escolha.

Quão bela é a vida que nos presenteia a possibilidade de tantos augustos acontecimentos no transcurso de uma simples interação. Ainda mais sublime é tal manifestação porque temos a possibilidade, ainda que cerceada por condicionamentos, dogmas e leis, de elegermos as maneiras psicológicas, intelectuais, perceptivas e espirituais como percorremos a trilha da vida.

Toda esta estrutura inteligentemente arquitetada e materializada é uma fantástica projeção que nos regala a benigna possibilidade de estarmos aqui, ou seja, tudo e todos estamos em determinado lugar ou situação em dado momento.

Tal característica de Estar, por mais efêmera que ela seja, é uma possibilidade que todos podemos escolher para nossas vidas sempre e quando desejarmos fazê-lo, pois estar em algum lugar ou com alguém é uma precondição para que a exposição às mais diversas situações vivenciais nos direcione ao caminho de querer incrementar nosso estado participativo na peça de nossas existências. Então, como resultado, quando logramos nos conscientizar de que estamos, novas luzes abrilhantam-se no horizonte e, consequentemente, conseguimos visualizar que também podemos Ser.

E, ao atingirmos o estado de consciência de Ser, rios de maravilhas e vales de oportunidades pintam-se na aquarela da existência pois incrementamos significantemente a nossa atuação nos labores diários porque passamos a ser tudo aquilo que ansiamos ou sentimos ao invés de apenas estar naquilo que desejamos e, ao mudar o vetor direcional de nossos caminhos, pensamentos, palavras e ações, enveredamos para uma força ativa em detrimento da uma força passiva que, inevitavelmente, será mais participativa e, somado a isto, se tal energia for guiada pelo amor, pela fraternidade e pelo bem, germinará as sementes para o embelezamento do nosso jardim chamado planeta terra.

Agora, sob uma perspectiva mais tangível, o quotidiano pode nos revelar que pela quantidade de preocupações, responsabilidades e necessidades que todos possuímos, muitas vezes sentimos que vagamos por um estado de consciência onde passamos todo o tempo apenas estando nos lugares e nas coisas, isto é, nos momentos de comunhão ou familiares, estamos no lar, estamos com parentes ou estamos com amigos, mas inconscientemente nos esquecemos de ser o lar, ser a família e ser o(a) amigo(a), pai, mãe, esposo(a), filha(a), neto(a), assim mesmo, quando estamos no trabalho, estamos trabalhando, estamos nos relacionando, mas esquecemos que a beleza está no ser o trabalho, ser a interação, ou seja, o tempo todo, ser o que fazemos, ser o que pensamos, ser o que materializamos porque, desta maneira, nossas essências estarão inteiramente presentes no momento de sermos e não será o momento que mimoseará presença para as nossas essências.

Além disso, em todas as interações e participações que escolhemos para as nossas vidas, devemos tomar tais decisões pautados pelas premissas de que iremos ser aquilo que selecionamos ao invés de estarmos naquilo que optamos, ou seja, na família, seremos família, no grupo social, seremos parte do grupo, nos relacionamentos, seremos o relacionamento, nas buscas intelectuais, culturais, políticas e espirituais, seremos parte de tais empreitadas e não apenas estaremos ali como seres inertes, lúgubres ou amorfos.

Assim sendo, é importante nos conscientizarmos de que vida, esta cíclica, mágica e cintilante faísca que brilha em nossos corpos é o Ser que possuímos para Sermos tudo o que desejamos, em todos e quaisquer momentos que vivemos, assim como para Sermos plenamente a molécula magna que manifesta a plenitude de nossas existências pelas materializações de nossos sonhos, pela capacidade de vivermos o presente e, acima de tudo, pela beleza de simplesmente Sermos.

Abraços e carpe diem,

Tadany

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget